Avaliação

03/01/2012 19:47


AVALIAÇÃO

Discreta e formosíssima Maria,
Enquanto estamos vendo a qualquer hora
Em tuas faces a rosada Aurora,
Em teus olhos e boca o Sol, e o dia;

Enquanto com gentil descortesia
O ar, que fresco Adônis te namora,
Te espalha a rica trança voadora
Quando vem passear-te pela fria,

Goza, goza da flor da mocidade,
Que o tempo trota a toda ligeireza,
E imprime em toda a flor sua pisada.

Oh não aguardes, que a madura idade
Te converta em flor, essa beleza
Em terra, em cinza, em pó, em sombra, em nada.

(MATOS, G. de. 25 poemas. B.H.: Itatiaia, 1998. p.15.)

QUESTÃO 1
Qual é a expressão latina que condensa a temática desse soneto barroco de Gregório de Matos?
A)  Áurea mediocritas. B)  Carpe diem. C)  Inutilia truncat. D)  In vino veritas.
QUESTÃO 2  

BUSCANDO A CRISTO

(Gregório de Matos Guerra)

A vós correndo vou, braços sagrados,
nessa Cruz sacrossanta descobertos
que, para receber-me, estais abertos,
e, por não castigar-me, estais cravados.

A vós, divinos olhos eclipsados
de tanto sangue e lágrimas cobertos,
pois, para perdoar-me, estais despertos,
e, por não condenar-me, estais fechados.

A vós, pregados pés, por não deixar-me,
a vós, sangue vertido, para ungir-me,
a vós, cabeça baixa, por chamar-me.

A vós, lado patente, quero unir-me,
a vós, cravos preciosos, quero atar-me,
para ficar unido, atado e firme.

A idéia fundamental desse soneto de Gregório de Matos vem da _________ do Cristo na cruz, oposta ao ___________ do eu poético, cujo objetivo é entregar-se a Ele, o que fica explícito com a utilização dos adjetivos _______, _______ e _________.
A opção que contém as palavras que preenchem corretamente as lacunas, na ordem em que se apresentam, é:

A) Impotência, respeito, atado, unido, vertido.
B) Imobilidade, movimento, unido, atado, firme.
C) Injustiça, santidade, sagrados, preciosos, divinos.
D) Passividade, ação, eclipsados, cobertos, fechados.
QUESTÃO 3  

O romantismo já continha o realismo em germe, mas o próprio Macedo, tendo escrito com abundância durante muito tempo, tornou-se a ponte entre as duas escolas. Em meio à sua longa carreira (16 romances, 14 peças teatrais, duas crônicas romanceadas, compêndios de História do Brasil, contos, novelas, discursos) evoluiu de tal forma que a crítica moderna distingue dois Macedos. A Moreninha conquistou-lhe fama e enorme público que não cessa de renovar-se através dos tempos. Já os livros da segunda fase, mais engajados, deixaram de corresponder à mentalidade, ao nível intelectual e aos interesses do grande público carioca, e contribuíram para relegá-lo ao segundo plano, mas são até agora um dos melhores espelhos para visualização do Segundo Império. 

(SCHLAFMAN, L. In MACEDO, J. Manuel de. A carteira de meu tio. R.J: José Olympio, 1995, p.10.)

Com base nesse texto, é correto afirmar sobre Joaquim Manuel de Macedo que

A) a designação “dois Macedos” sugere aspectos contraditórios na obra do romancista.
B) a sua primeira fase é marcada por obras de cunho acentuadamente político.
C) ele foi o introdutor do realismo no Brasil, com seu romance A Moreninha.
D) ele foi um polígrafo, cuja obra abrangeu a época do governo de D. Pedro II.
QUESTÃO 4  

Minha ambição é voltar ao convívio da minha gente e com a ajuda deles me lavar desse óleo de civilização e cristandade que me impregnou até o fundo.(...) E pergunto, quantos dias mais, quantos meses mais serão necessários para que eu não precise nunca mais jogar o jogo de vocês; mentir e mentir, segundo as regras do seu mundo? (...) Nosso problema é o de um davizinho mairum, muito inviável, lutando contra um supergolias civilizador. Nossa possibilidade de vencer é nenhuma. Mas também não seremos vencidos. Continuaremos pelos séculos nos amargurando com o desgosto de nós mesmos. 

(RIBEIRO, D. Maíra. R.J.: Civilização Brasileira, 1976, p.175.)

O desabafo do índio Isaías, protagonista desse romance, evidencia que a

A) aculturação é sentida como espécie de nódoa a ser eliminada.
B) analogia com personagens bíblicos expressa a esperança de vitória contra a civilização.
C) literatura contemporânea retoma o mito do bom selvagem.
D) religiosidade cristã, advinda de outra cultura, confere esperança ao selvagem.
QUESTÃO 5  

No último quadrinho, o sentimento da mãe do menino em relação à situação exposta é de

A) irritação, porque o menino não queria tomar banho frio.
B) impaciência, porque o menino encheu muito a banheira.
C) indignação, pois a mãe tentou agradá-lo de todas as formas.
D) impaciência, pois, na verdade, o menino não queria tomar banho.
QUESTÃO 6
Marieta não trabalha nem estuda.

O conectivo destacado no trecho acima apresenta um segmento que:

A) Adiciona uma ação à oração anterior.
B) Apresenta uma ação contrária ao que se admite na oração anterior.
C) Expõe a causa da oração anterior.
D) Inicia uma passagem que contém uma outra alternativa de ação.
QUESTÃO 7   

"Ansioso, esperei o amanhecer: a natureza, aqui, além de misteriosa é quase sempre pontual. Às cinco e meia tudo ainda era silencioso naquele mundo invisível; em poucos minutos a claridade surgiu como uma súbita revelação, mesclada aos diversos matizes do vermelho, tal um tapete estendido no horizonte, de onde brotavam miríades de asas faiscantes: lâminas de pérolas e rubis; durante esse breve intervalo de tênue luminosidade, vi uma árvore imensa expandir suas raízes e copa na direção das nuvens e das águas, e me senti reconfortado ao imaginar ser aquela a árvore do sétimo céu."

(HATOUM, M. Relato de um certo Oriente. SP: Companhia das Letras, 1989.p.72-73.)

Considerando que, nessa passagem de romance contemporâneo, há o olhar de um imigrante libanês sobre a paisagem brasileira, esse texto

A) contraria as descrições dos antigos cronistas sobre o país, uma vez que há a decepcionante revelação de um cenário desnudado pelo sol.
B) instaura uma original percepção do espaço brasileiro, que desperta sensações contraditórias em seu observador.
C) mantém um viés eurocêntrico na caracterização de um espaço que existe mais no imaginário do que no real.
D) ratifica a descrição empolgada dos viajantes na contemplação de um cenário de riqueza cromática.
QUESTÃO 8  

Instituto Ethos – Empresa e responsabilidade social.

Há uma quebra de expectativa entre o texto verbal, “Filho, um dia isso tudo será seu”, e o não-verbal, porque se espera que

A) a herança deixada aos filhos pelos pais seja positiva.
B) a empresa poluente deixa de existir.
C) os filhos não aceitem tal presente.
D) os filhos não tenham que vivenciar tal situação.
QUESTÃO 9
A afirmativa em que no título da notícia houve o deslocamento de uma informação temporal para a posição inicial, com o efeito de destacá-la é:
A) Após 41 dias de seqüestro, menina de 2 anos é libertada.
B) Apesar dos juros, mercado vê inflação mais alta.
C) Em São Paulo, boliviano trabalha para pagar dívidas.
D) Os 40 dias pareceram 40 anos.
QUESTÃO 10  


(Revista Veja, edição 2014)

O objetivo desse texto é

A) anunciar uma coleção que mudará o mundo.
B) compor uma “biografia” de cada obra, documentando a vida do autor.
C) programar a publicação de outros livros da coleção.
D) recomendar a leitura dos livros da coleção “Livros que Mudaram o Mundo”.
QUESTÃO 11   

Texto 1

    Esta moça era Cecília.
    O que passava neste momento em seu espírito infantil é impossível descrever; o corpo cedendo à languidez que produz uma tarde calmosa, deixava que a imaginação corresse livre. 
 
    Ela sonhava que uma das nuvens brancas que passavam pelo céu anilado, roçando a ponta dos rochedos se abria de repente, e um homem vinha cair a seus pés tímido e suplicante. 

(ALENCAR, J. de. O guarani. R.J.: Editora Letras e Artes, 1967, p. 54. Adaptado.)

Texto 2
    Como toda mulher casada, vivo tomando remédios aos montões para aliviar momentaneamente minha insuportável carga de frustrações. Toda noite meu marido toma uma garrafa de vinho tinto durante o jantar e sou eu, que faço tudo dentro de casa, quem abre a garrafa e serve o vinho. 

(FONSECA, R. “Francisca”. In Ela. S.P.: Companhia das Letras, 2006, p. 47. Adaptado.)

 

Esses textos apresentam aspectos de personagens femininas da ficção brasileira do século XIX e do século XXI. Comparando-os, constata-se que a

A) ficção romântica apresenta a mulher com traços idealistas, infantilizando-a e situando-a no universo de sonho.
B) ficção contemporânea, mesmo permitindo que a voz que era secularmente silenciada se manifeste, esconde os principais elementos da opressão.
C) atitude do narrador oitocentista era a de mergulhar na profundidade do pensamento de suas personagens, dissecando-lhe seus mais recônditos desejos.
D) atitude do narrador contemporâneo é não permitir que haja grande diferenciação entre autor e personagem, deixando tênue a relação entre realidade e ficção.
QUESTÃO 12   

Chuva estraga as entrevistas de emprego

Torça para o céu estar azul. Uma pesquisa da Universidade de Toronto, que acompanhou 3 mil pessoas durante 6 anos, constatou que ser entrevistado num dia chuvoso reduz em 10% as suas chances de ser contratado. Isso supostamente acontece porque o mau tempo deixa o entrevistador de mau humor.

(Super Interessante. mar. 2010. p.26.)

Ao falar sobre o motivo de a chuva reduzir as chances de ser contratado, o autor desse texto demonstra

A)  crítica. B)  curiosidade. C)  dúvida. D)  imparcialidade.
QUESTÃO 13
Cidadezinha qualquer

Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.

Devagar... as janelas olham.
Eta vida besta, meu Deus.

(ANDRADE, C. D. de. Antologia poética. 40 ed. R.J.: Record, 1993. p. 44.)

Nesse poema, o eu-lírico, a partir de uma linguagem sintética,

A) denuncia, com veemência, a vida dura dos habitantes de um mundo arcaico, cercado pelo abandono.
B) mostra, com compaixão, o intenso desajuste existente entre a vida urbana e o mundo rural.
C) retrata, com ironia, a monotonia e o tédio que predominam em pequenas cidades do interior.
D) revela, com melancolia, a má sorte daqueles que moraram em lugares distantes.
QUESTÃO 14  

Vaso grego

Esta de áureos relevos, trabalhada
De divas mãos, brilhante copa, um dia,
Já de aos deuses servir como cansada,
Vinda do Olimpo, a um novo deus servia.

Era o poeta de Teos que o suspendia
Então, e, ora repleta ora esvasada,
A taça amiga aos dedos seus tinia,
Toda de roxas pétalas colmada.

Depois... Mas, o lavor da taça admira,
Toca-a, e do ouvido aproximando-a, às bordas
Finas hás de lhe ouvir, canora e doce,

Ignota voz, qual se da antiga lira
Fosse a encantada música das cordas,
Qual se essa voz de Anacreonte fosse.

(OLIVEIRA, A. www.revista.agulha.nom.br/ao04.html. Acesso: 11/03/2010.)

Esse poeta parnasiano, ao eleger como tema de seus versos um artefato clássico, grego, teve como propósito,

A) criar uma envolvente atmosfera de nostalgia e subjetivismo.
B) descrever um objeto ligado à antiguidade clássica.
C) misturar aos elementos mitológicos certo grau de subjetividade.
D) revalorizar as ideias clássicas com sensualidade e erotismo.
QUESTÃO 15  


(https://www1.folha.uol.com.br/fsp/quadrin/. Acesso: 16/04/2010.)

Na tira, o rato

A) concorda com o que o menino diz sobre ele.
B) é igual ao Mickey nos aspectos físicos e psíquicos.
C) gosta de ser comparado ao personagem Mickey.
D) tem o humor distinto do personagem Mickey.
QUESTÃO 16  

O eufemismo é uma figura de estilo em que se empregam termos mais agradáveis para suavizar uma expressão. O trecho que apresenta um eufemismo é:

A) “Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente.”
B) “Chorei bilhões de vez com a canseira
De inexorabilíssimos trabalhos.”
C) “E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.”
D) “Já falei mais de mil vezes.
Morreram de rir.”
QUESTÃO 17   

 

“Há um modo de ver e sentir, que dá a nota íntima da nacionalidade, independente da face externa das coisas”.
(Mário de Andrade sobre José de Alencar, in Joaquim Manuel de Macedoromance. Rio de Janeiro: Agir, 1971, p.9.)

 

Qual é a reflexão sobre o Romantismo brasileiro presente nesse pensamento de Mário de Andrade?

A) O elemento exterior, isto é, a cor local, prepondera sobre a dimensão psicológica, ao mesmo tempo em que a trama se intensifica.
B) O meio ambiente, assinalado pelos estereótipos do cenário nacional, sobrepõe-se ao homem, que se torna mero coadjuvante das ações.
C) O regionalismo, associado ao indianismo, passa a exprimir os aspectos típicos da realidade brasileira, em detrimento do homem.
D) O verdadeiro sentimento de brasilidade nem sempre precisa estar na natureza, mas nos seres humanos, em seu mundo interno.
QUESTÃO 18  

A literatura dramatiza muito bem o medo intemporal que os homens têm das mulheres e que disfarçam através de uma agressividade contra elas. (...) Essa agressividade pode ser a exteriorização de um canibalismo, ou uma passividade pode ser a reafirmação do canibalismo da fêmea sobre o macho.

(SANT”ANNA, A. R. de. O canibalismo amoroso. S.P.: Brasiliense, 1985, p.78.)

Qual o trecho de canção ou poema que se identifica com as considerações de Affonso Romano de Sant’Anna?

A) É a ti flor, do céu, que me refiro
Neste trino de amor, nesta canção
Vestal dos sonhos meus, por quem suspiro
E sinto palpitar meu coração.
(canção atribuída a João Júlio dos Santos)
B) Aquele que dormirá comigo todas as luas
É a desejada de minha alma.
(Vinícius de Moraes)
C) água, tua música de pele
e cheiro fluindo de florações
impalpáveis, chuva acesa
no centro do abismo, onde flutuam
manhãs.
(Afonso Henriques Neto)
D) Estou mais atrevida
To cheia de vida
Você não me provoca
Nem quando me toca
Agora eu tenho
É fome de homem
Que seja feliz.
( Ivan Lins/ Vítor Martins)
QUESTÃO 19   

Leia a tirinha a seguir.

Nessa tirinha, o fator que determina preponderantemente a variação lingüística é

A)  a classe social. B)  a idade. C)  o espaço geográfico. D)  o gênero.
QUESTÃO 20   
O poema chamado Herói-Cômico, porque abraça ao mesmo tempo uma e outra espécie de poesia, é a imitação de uma ação cômica heroicamente tratada. Este Poema pareceu monstruoso aos Críticos mais escrupulosos; porque se não pode (dizem eles) assinar o seu verdadeiro caráter. Isto é mais uma nota pueril, do que bem fundada crítica; pois a mistura do heroico, e do cômico não envolve a contradição, que se acha na Tragicomédia, onde o terror, e o riso mutuamente se destroem.

(ALVARENGA, M. I. da S.. O desertor. Campinas, S.P: Editora da Unicamp, 2003, p.72. *Adaptado: Reforma Ortográfica.)

A suposta “monstruosidade” que os críticos viram no poema Herói-Cômico fundamenta-se na
A) inconveniência do uso da poesia para expressar ações cômicas.
B) indefinição da identidade do gênero.
C) infantilidade dos temas abordados.
D) inviabilidade de conjugar riso e terror em um só texto.